10 Dicas matadoras que irão e ajudar a elaborar sua lista de convidados de casamento

Uma das maiores dores de cabeça para os noivos é montar a lista de convidados para o casamento.

É incrível como, quando colocamos todos os nomes no papel, a lista fica imensa!!!

E aí vem a pior parte: quem convidar e quem deixar de fora? Afinal, são tantos amigos, parentes, colegas de trabalho, vizinhos, parentes distantes que sua mãe sempre insiste em chamar…

Elaborar uma lista de convidados pode ser um processo bem espinhoso para os noivos, já que é praticamente impossível conciliar todos que queremos convidar com o nosso orçamento disponível.

Mas para te ajudar, vamos ver duas listas com alguns itens a serem levados em conta na hora de elabora sua lista de convidados:

1. Quatro itens essenciais a serem considerados

Qual a visão/sonho que você tem para seu casamento

Como você imagina seu casamento? Uma cerimônia intima, apenas com a família e os amigos mais próximos, ou uma festa grande, com muitos convidados?

Definindo o tipo de casamento que você quer, facilita muito elaborar um orçamento para a celebração e definir melhor quem serão os convidados.

Qual o seu orçamento disponível

É muito grande o número de pessoas que começam a planejar o casamento e não levam em consideração o orçamento disponível, e já começam a vida de casados devendo (muito!) a festa do casamento.

O ideal é que, ao começar a planejar o seu casamento, já tenha definido um valor a ser gasto com toda a cerimônia e recepção, e trabalhar o seu número de convidados em cima deste orçamento.

As duas coisas mais caras num casamento são a decoração da igreja/salão de festas e a recepção dos convidados. Claro que há exceções a esta regra, mas geralmente estes são os dois itens mais dispendiosos e começar a se planejar com um orçamento já definido ajuda, e muito, a não começar a vida a dois já endividado.

A data do seu casamento

Se o casamento for celebrado durante a semana, num fim-de-semana prolongado, ou numa ocasião em que a maioria das pessoas não esteja de férias, a probabilidade de terem mais respostas negativas ao convite de casamento é maior.

Buffet a ser contratado

A grande maioria dos buffets trabalham baseados no número de convidados. Em alguns casos, o buffet só fornece a comida. Bebida, talheres e louça tem que ser contratados com outro fornecedor; noutros casos o buffet fornece tudo (comida, louça, talheres bebida). Por fim, faça muita pesquisa de mercado antes de definir o seu buffet.

Antes de definir o buffet, é muito interessante já ter definido o número de convidados. Saibam que o maior custo de um casamento é com a recepção dos convidados, quanto mais convidados maior o custo.

2. Como elaborar a lista de convidados

Aqui começa a verdadeira dor de cabeça. Quem chamar e quem deixar de fora?

1. Invista numa cerimônia íntima. E deixe isso bem claro para os convidados!, afinal, o estilo intimista já é naturalmente restritivo. É aí que entram os miniweddings, que estão em alta. Quando as pessoas ficam sabendo que será um minievento, automaticamente já percebem que só os convidados indispensáveis farão parte da lista. Se o desejo do casal for enxugar ainda mais a lista, uma boa saída é fazer uma cerimônia só para pais dos noivos, irmãos e padrinhos.

2. Amigos, só os mais próximos! Aqui entra uma questão delicada. É normal que o casal tenha um grande número de amigos, mas nem sempre é possível convidar todos. Aqui, podemos trabalhar na lista da seguinte forma: faça sua lista com todos os convidados que você queira chamar e depois se faça estas quatro perguntas:

  • Eu tenho o costume de frequentar a casa dessas pessoas ou elas costumam visitar a minha?
  • Esse convidado participou da minha vida e do meu noivo? Como foi nosso convívio nos últimos 2 anos?
  • Essas pessoas me deram parabéns no meu último aniversário? Ou ainda me desejaram feliz Natal e feliz Ano Novo?
  • Elas conhecem e já conversaram alguma vez na vida com o meu noivo? (Essa pergunta é reveladora, já que demonstra se a pessoa é intima apenas de você ou do casal)
    Se você respondeu não para mais de 2 itens, considere deixar esta pessoa fora da sua lista de convidados.

3. Mantenha os colegas profissionais fora da sua lista. Amigos de trabalho não precisam, necessariamente, ser convidados, a não ser aqueles que já fazem parte da vida pessoal do casal. Afinal, o casamento é um momento muito íntimo. Se ninguém do trabalho se encaixar no perfil, é melhor não convidar ninguém para que os não convidados não se sintam excluídos. A dica é comentar o menos possível sobre o casamento para não gerar expectativas.

4. Faça uma boa seleção dos parentes distantes. Como o casamento é uma comemoração íntima e pessoal, não há obrigatoriedade de convidar todos os familiares. Os mais distantes, ou aqueles com quem o casal não tem uma convivência direta, podem ser apenas comunicados sobre o acontecimento, mas não convidados. Além do mais, se parentes que não têm uma convivência estreita forem convidados, o casal corre o risco de dar a impressão de que está convidando apenas para ganhar presentes.

5. Limite os convidados dos pais dos noivos. Uma coisa é certa: em um casamento, as decisões devem ficar por conta dos noivos. Aos pais, resta entender que a festa não é deles. Por isso, determine um número de convites para que os pais enviem a quem quiserem. É uma questão de respeito e gratidão pelas pessoas que colocaram você no mundo.

6. Elimine os acompanhantes. Quando você endereça o convite ao ‘Sr. Fulano de Tal’, isso quer dizer que é exclusivamente para ele e poderá constar na lista como sendo apenas uma pessoa. Se você escrever ‘Sr. Fulano de Tal e Família’, fica em aberto o número de convidados possíveis de comparecer com esse convite. Pode ser a sogra, os filhos acompanhados de namoradas e assim por diante. Por outro lado, a indicação ‘Sr. e Sra. Fulano de Tal’ ou ‘ Sr. Fulano de Tal e Esposa’ determina que o convite é só para o casal. Por isso, para evitar que o número de convidados fuja do controle, vale uma atenção especial aos dizeres do convite.

7. Não se sinta na obrigação de convidar ninguém. Se você quiser definir rapidamente sua lista de convidados, leve em consideração apenas suas razões, seus motivos, que podem ser financeiros ou não. Dessa forma, não se sinta na obrigação de convidar ninguém ao imaginar o que podem pensar de você. Nem aquela pessoa que fez questão de sua presença no aniversário dela, nem aquele outro que lhe fez um favor inesquecível. Não vai faltar oportunidade para você retribuir essas gentilezas.

8. Limite um número máximo para a lista. É importante que os noivos tenham bem claro para si qual é o estilo do evento e o limite de convidados que combinaram. Essa consciência tem que ser passada também para os pais, que participarão da montagem lista. Deve-se ter sempre em mente quanto custa cada convidado para que todos saibam das dificuldades a serem enfrentadas caso a lista extrapole o número combinado.

9. Faça triagens na lista. A principal regra é preparar a relação geral, com os potenciais convidados do casal. Depois, pegar a lista dos pais do noivo, a lista dos pais da noiva, conferir se há nomes repetidos e, em seguida, classificar o grau de importância de cada um dentro do evento. A melhor forma de chegar a uma conclusão é fazendo perguntas. Por que a pessoa está na lista? Qual sua importância nessa história? Ela precisa mesmo estar presente? Pronto, esse é o caminho. Aí, é só ir tirando aqueles que não se encaixam como convidados que não podem faltar.

10. Elabore a lista racionalmente. Se o casal não tirar o lado emocional dessa tarefa, vai ficar impossível realizar o casamento. Por isso, sejam objetivos. A vontade pode até ser de convidar um monte de gente, pessoas que conviveram com o casal há anos, mas que não convivem mais, etc. O importante é que toda a organização seja feita de forma objetiva para que tudo fique dentro do planejado.

Espero ter ajudado você a definir critérios para elaborar a sua lista de casamento.

Se ficou alguma dúvida, deixe seu comentário que terei o maior prazer em lhe ajudar!

(Visited 7 times, 1 visits today)

Como convidar casais gays

Atualmente, com a lei que reconhece a união estável por casais homossexuais, está cada dia mais comum termos casais gays no nosso círculo de amizades, e na hora de convidá-los para um casamento, aniversário ou qualquer outra celebração surge um impasse:

Como endereçar o convite?

O objetivo deste artigo é justamente dar uma luz sobre a forma mais elegante de se fazer a sobrescrição do convite a casais gays.

Uma das formas mais tradicionais que podemos convidar casais do mesmo sexo seria usar o mesmo pronome de tratamento para os dois (os nomes são masculinos, mas são apenas exemplos):

SDC14363

esta forma é simples, elegante e discreta.

Se o casal for casado e não escondem que são gays, podemos convidar também da seguinte forma:

SDC14361

Apesar de estarmos numa sociedade cada dia mais liberal, antes de usar estar forma de tratamento, sempre é bom verificar se o casal não vê problemas em receber um convite endereçado desta forma, já que o convite é algo que eles podem querer mostrar a outras pessoas e talvez não gostem de se expor.

Se o casal mora junto, uma das formas mais elegantes seria endereçar o convite para a pessoa e família. Veja:

SDC14362

Agora, apesar de não estar errado, uma forma que não fica elegante de se colocar no convite é esta:

SDC14364

Pessoalmente, prefiro colocar no convite, quando se trata de casais gays, o primeiro e o terceiro exemplos. O primeiro exemplo, com o nome das duas pessoas, é elegante e fica bem quando o casal não mora junto ou são namorados. Quando moram juntos, as vezes com filhos, o ideal é realmente colocar o nome e o e família. Simples, direto e elegante.

(Visited 150 times, 1 visits today)

Caligrafia artesanal vira moda e dá toque vintage até a cartas de amor

Apesar do título ter ficado um pouco grande, este é o título de uma matéria que saiu na Folha de São Paulo falando sobre a busca, cada vez maior, pelos serviços de caligrafia.

Foto do calígrafo Fábio Maca que ilustra a reportagem no site da Folha de São Paulo.

A caligrafia é uma arte com grande procura, sendo que sua aplicação mais conhecida são as subscrições de convites de casamento e formaturas, mas a gama de sua aplicação é quase infinita.

Basta imaginar alguma superfície em que gostaria de escrever uma mensagem ou uma frase simples, e ali tem espaço para o trabalho do calígrafo.

Se você quer ler a matéria que saiu na Folha de São Paulo, basta clicar neste link.

(Visited 167 times, 1 visits today)